Morro Mundo Pin, 2018

latão banhado a ouro

dimensões variáveis

Press Release

+

A Galeria Nara Roesler | New York  apresenta Laura Vinci: Diurna, primeira exposição individual da artista em New York. Apresentando instalações esculturais delicadas, a exposição busca refletir sobre a nossa relação em constante evolução com a natureza, mediada pelo espaço urbano.

 

Em Diurna, a instalação Folhas Avulsas (2018), composta por 72 esculturas douradas em formato de folhas, irá cercar as recém-abertas janelas da galeria, convidando a luz natural de verão da cidade a adentrar o espaço expositivo. As folhas de Vinci ondulam, eternalizando o movimento de uma leve brisa na folhagem, lembrando o espectador que o verão é seguido do inverno. De acordo com Vinci, "Diurna cria um movimento de migração, insinuando uma transferência de folhas de um outono virtual no Hemisfério Sul para dar as boas-vindas à nova estação no Norte. Essas folhas fundidas em latão e banhadas a ouro pontuam a arquitetura do espaço, como se fossem sopradas pelas janelas recém-abertas."

 

Embora possa parecer contraditório que objetos destinados a simbolizar transitoriedade e movimento sejam fixados à parede, as esculturas foram cuidadosamente projetadas para permitir que se tornem um componente estrutural no espaço da galeria, enraizando-se fisicamente em sua localização geográfica. Como explica Vinci, "As folhas avulsas são fixadas diretamente à parede através de finos alfinetes, como relíquias de um futuro em que as excentricidades singulares de nossa Terra deixaram de ser notadas. A luz externa se abriga no espaço da galeria, variando em intensidade e tonalidade e estabelecendo uma coloração solar no ambiente. Diurna convida o espectador a ver-se como parte integrante desse ambiente pulsante, onde seu próprio corpo está presente no continuum."

 

O tom político da exposição ecoa através das obras Onde Estamos? (2017) e Duas Medidas (2017). Fixadas à parede, essas esculturas de bússola e balança (respectivamente) evocam instrumentos que medem direção e peso, reiterando a questão sobre nossa atual posição no mundo. No entando, a artista também sugere a necessidade de mudança e transformação ao incluir pequenos fragmentos de granada às esculturas. A pedra granada, um símbolo de motivação e determinação, evoca um desejo por mudança. Vinci explica, "estes pequenos objetos que se configuram como ferramentas de medição podem nos ajudar a continuar a nossa jornada". Portanto, a mensagem final da exposição não diz respeito à mudança e à permanência, mas aos elementos que nos conduziram ao presente e irão nos guiar no futuro. 

Press

+
  • laura vinci explores the fragile state of the world in her new exhibition 'diurna' Download

    laura vinci explores the fragile state of the world in her new exhibition 'diurna'

    Ann Binlot, Forbes 31.7.2018