4.11.2021

tomie ohtake | persistência do visível