cao guimarães
sem título da série ilhas, 2013
impressão digital sobre papel algodão
61 x 83 cm
+

Cao Guimarães (n. 1965, Belo Horizonte, Brasil) vive e trabalha em Belo Horizonte. Considerado um dos mais prolíficos artistas contemporâneos brasileiros, Cao Guimarães trabalha na intersecção entre cinema e artes visuais. Seus primeiros filmes datam do final da década de 1980, e seus trabalhos fazem parte das coleções de instituições renomadas, como Tate Modern (Reino Unido), MoMA e Museu Guggenheim (EUA), Fondation Cartier (França), Colección Jumex (México), Inhotim (Brasil), Museo Thyssen-Bornemisza (Espanha), etc. Participou de exposições importantes, entre elas a XXV e a XXVII edições da Bienal de São Paulo, Brasil; Bienal Insite 2005, México; Cruzamentos: Contemporary Art in Brazil, EUA; Tropicália: The 60s in Brazil, Áustria; Programa de Filmes da 11ª Bienal de Sharjah, Emirados Árabes unidos e Ver é Uma Fábula, Brasil, uma grande retrospectiva de meio de carreira que incluiu a maioria de seus trabalhos, no Itaú Cultural, Brasil. É autor de 9 longas-metragens: O Homem das Multidões (2013), Otto (2012), Elvira Lorelay Alma de Dragón (2012), Ex Isto (2010), Andarilho (2007), Acidente (2006), A Alma do Osso (2004), Rua de Mão Dupla (2002) e O Fim do Sem Fim (2001). Guimarães foi convidado a exibir seus filmes em importantes festivais de cinema, como Cannes, Locarno, Sundance, Veneza, Roterdã e Berlim.  Em 2011, o MoMA realizou uma retrospectiva de seus filmes e em 2014, o BAFICI (Buenos Aires) e a Cinemateca do México também promoveram retrospectivas de sua obra. 

Exposições

+