not vital  house to watch the sunset, 2018  tarasp, switzerland
not vital  chapel, 2017  bataan, filipinas
not vital  house to watch the sunset, 2017  flores, indonesia
not vital  house to watch the sunset, 2016  paraná do mamori, amazônia, brasil
not vital  700 snowballs, 2015  700 peças de vidro soprado  dimensões variáveis
not vital  moon, 2015  aço inox  Ø 136 cm
not vital  notOna, 2014  patagonia, chile
not vital  notOna, 2014  patagonia, chile
not vital  piz nair, 2011  carvão e aço inox  102 × 70 × 49 cm
not vital  625, 2010  fibra de vidro e sabonete  300 × 150 × 140cm
not vital  hotel for ardez, 2010  técnica mista  43 × 35.5 cm
not vital  notona island, 2009  patagona, chile
not vital  house to watch the sunset, 2006  aladab, niger
not vital  moon house, 2006  agadez, niger
not vital  objects you do not want to swallow, 2006  carvão e durex sobre papel
not vital  sandstorm house, 2006  aladab, niger
not vital  3 mountains in toblerone, 2005  chocolate toblerone sobre paperl  43 × 35.5 cm
not vital  makaranta (school), 2003  agadez, niger
not vital  Mekafonie, 2003  agadez, niger
not vital  sled, 2003  mámore carrara  150 × 30 × 40 cm
not vital
house to watch the sunset, 2018
tarasp, switzerland

Not Vital (n.1948) nasceu na aldeia de Sent, no vale alpino de Engadin (Suíça). Atualmente, ele vive e trabalha entre o Rio de Janeiro, Pequim e Sent. Vital estudou Arte em Paris e em Roma antes de mudar-se para Nova York em 1976. Desde 2000, sua prática se expandiu, passando a incluir construções, como casas, escolas, torres, pontes e túneis, e diluindo a fronteira entre arte e arquitetura. Essas construções são estruturas permanentes e muitas podem ser vistas no parque de esculturas de Vital em Sent ­ bem como na Bélgica, Brasil, Indonésia, Níger e Patagônia. Vital realizou exposições individuais recentes nas seguintes instituições: Museo d'Arte di Mendrisio, em Mendrisio (2015), Musées d'Art et d'Histoire, em Genebra (2014); Isola di San Giorgio Maggiore, em Veneza (2013); Ullens Centre for Contemporary Art, em Pequim (2011); Museo Cantonale d'Arte di Lugano (2007); The Arts Club of Chicago (2006); e Kunsthalle Bielefeld (2005). Em 2001, o artista participou da 49ª Bienal de Veneza (com curadoria de Harald Szeeman). Seu trabalho está representado em coleções públicas no mundo todo, entre elas o Carnegie Institute, em Pittsburg; o Dallas Museum of Art, em Dallas; o Solomon R. Guggenheim Museum, em Nova York; o Kunstmuseum Bern, em Berna; o Kunsthalle Bielefeld, em Bielefeld; o Kunstmuseum Luzern, em Lucerna; o Musées d'Art et d'Histoire, em Genebra; o Museum of Fine Arts, em Boston; o Museum der Moderne, em Salzburgo; o Philadelphia Museum, na Philadelphia; The Museum of Modern Art, em Nova York; The Ashmolean Museum, em Oxford; The Brooklyn Museum, no Brooklyn; e o Toyota Municipal Museum of Art, em Aichi. 

Press

  • in pictures - swiss artist vital's first major uk show Download

    in pictures - swiss artist vital's first major uk show

    Jonty Wilde, BBC News 30.5.2016
  • not vital | yorkshire sculpture park Download

    not vital | yorkshire sculpture park

    Bob Chaundy, Huff Post 24.5.2016
  • not vital | yorkshire sculpture park Download

    not vital | yorkshire sculpture park

    Jolyon Webber, CNN Style 24.5.2016
  • the extraordinary and enigmatic swiss artist - not vital in the first major uk exhibition Download

    the extraordinary and enigmatic swiss artist - not vital in the first major uk exhibition

    Ana Moriarty, Wide Walls 18.5.2016
  • swiss artist not vital takes over yorkshire sculpture park Download

    swiss artist not vital takes over yorkshire sculpture park

    Elly Parsons, Wallpaper 6.3.2016
  • galeria nara roesler apresenta trabalhos de not vital pela primeira vez em são paulo Download

    galeria nara roesler apresenta trabalhos de not vital pela primeira vez em são paulo

    SP-arte 1.12.2015
  • artist not vital buys 12th century swiss castle Download

    artist not vital buys 12th century swiss castle

    Henri Neuendorf, ArtNet 15.9.2015
  • inside the many houses of not vital maker of dreamscapes for adults Download

    inside the many houses of not vital maker of dreamscapes for adults

    Andrew O'Hagan, The New York Times T Magazine 18.10.2013

Canal

Texto Crítico

  • saudade

    giorgia von albertini
    No universo de Not Vital, símbolos e materiais viajam em alta velocidade pelas estradas metamórficas da alquimia. Ao redefinir o possível, Vital nos apresenta obras de arte singulares, que nos instigam a adquirir novas maneiras de enxergar e pensar. Subitamente, flores de Lótus (Lotus) apresentam-se totalmente vestidas em aço inoxidável reflexivo. Apartadas do universo mortal do orgânico, carregam botões que reluzirão eternamente em isolamento. Bengalas são abruptamente apartadas de sua função por seu tamanho ampliado, dispostas diante de nós como totens utópicos. Uma Língua (Tongue) se transforma num obelisco, e a Lua (Moon) desce à Terra. Paisagens Terrestres e Marítimas (Landscapes, Seascapes)emergem lenta, porém inequivocamente de placas de mármore. Retratos (Portraits) de personalidades conhecidas, como Oscar Niemeyer, materializam-se na forma de elegantes esculturas cúbicas de prata. Galhos de árvores de bronze brancas estendem-se às alturas. Ao procurarmos em vão suas folhas, encontramos aglomerações de letras que, juntas, revelam significado. Desenhos (Drawings), por outro lado, repentinamente deixam de ser bidimensionais, adquirindo qualidade escultural através de materiais não-convencionais. Ao analisar-se...