cristina canale
anjo, 2014
óleo sobre tela
200 x 300 cm
+

Cristina Canale (n. 1961, Rio de Janeiro, Brasil) vive e trabalha em Berlim. As pinturas de Canale estão sempre prestes a se dissolver em abstração. Como já foi observado anteriormente, suas paisagens parecem retratar um mundo líquido onde alguns elementos reconhecíveis surgem dentre campos cromáticos sobrepostos harmonicamente, a despeito da ampla variedade de cores contidas em cada pintura. Cristina iniciou sua carreira artística trabalhando com desenho e pintura no Parque Lage, Rio de Janeiro, na década de 1980. Após firmar-se na cena brasileira como parte da Geração 80, juntamente com artistas como Beatriz Milhazes e Adriana Varejão, recebeu uma bolsa do Estado de Brandemburgo, na Alemanha, para realizar um projeto artístico no Castelo Wiepersdorf, e uma bolsa do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico para estudar na Academia de Belas Artes de Düsseldorf, onde permaneceu até 1995. Durante este período, estudou pintura sob a tutela do artista conceitual holandês Jan Dibbets. Cristina Canale combina abstração e representação em pinturas com técnica mista sobre tela. Há décadas, seu trabalho investiga a história da pintura e seu contínuo desenvolvimento. As obras do início de sua carreira são físicas, repletas de matizes escuros, linhas sólidas e impasto. Em meados da década de 1990, Cristina mudou-se para a Alemanha para estudar na Academia de Belas Artes de Düsseldorf, onde adotou uma paleta de cores mais claras e uma técnica mais suave. Seus trabalhos mais recentes revelam influências do fauvismo, pós-impressionismo e neoexpressionismo, em retratos de paisagens, pessoas, cenas domésticas, cães e gatos que lembram temas pré-modernos e do início do período modernista. Em toda sua obra, a artista combina o literal e o lírico, celebrando a maleabilidade e a magia da pintura. Seus trabalhos em grande escala criam ambientes lúcidos, com retratos que incorporam a infância e a abstração. Turista em ação (2006) é uma ilustração abstrata de um turista com a face obstruída por uma câmera, num cenário tropical com céu azul. Cristina Canale expôs na 21ª Bienal de São Paulo (São Paulo, Brasil, 1991); e na 6ª Bienal de Curitiba (Curitiba, Brasil, 2011). Algumas de suas individuais mais recentes foram: Zwischen den Welten (Kunstforum Markert Gruppe, Hamburgo, Alemanha, 2015); Entremundos (Paço Imperial, Rio de Janeiro, Brasil, 2014); Entre o ser e as coisas (Galeria Nara Roesler, São Paulo, Brasil, 2014); e Protagonista e domingo (Instituto Figueiredo Ferraz, Ribeirão Preto, Brasil, 2013). Também recentemente, participou das coletivas Além da forma (Instituto Figueiredo Ferraz, Ribeirão Preto, Brasil, 2012); O Colecionador de sonhos (Instituto Figueiredo Ferraz, Ribeirão Preto, Brasil, 2011) e A cor do Brasil, com curadoria de Paulo Herkenhoff e Marcelo Campos, no Museu de Arte do Rio (Rio de Janeiro, 2016).