paulo bruscky
arte classificada / composição aurorial, 1976
tinta vermelha de caneta hidrográfica sobre folha de jornal
57,5 x 37,3 cm
+

Paulo Bruscky (n. 1949, Recife, Brasil) é um dos expoentes da arte conceitual no Brasil e um dos principais precursores de diversas manifestações que envolvem arte, tecnologia e comunicação. Sua prática artística, baseada na ideia de arte como informação, é marcada pelo experimentalismo constante, resultando em um corpo de obras plural, composto por poesias visuais, livros de artista, performances, intervenções urbanas, filmes em Super-8 e obras em novas mídias. A produção de Bruscky é também caracterizada pelo conteúdo de contestação social e política, resultado da postura crítica e militante do artista, cujo princípio da carreira coincide com a ascensão de governos militares e o consequente estabelecimento de severos regimes ditatoriais em diversos países latino-americanos, incluindo o Brasil.

 

Bruscky tem participado de diversas exposições no Brasil e no exterior, incluindo inúmeras bienais, como as 16ª, 20ª, 26ª e 29ª edições da Bienal de São Paulo (1981, 1989, 2004 e 2010) e a 10ª Bienal de La Habana, Cuba (2009), entre outras. Individuais recentes incluem: Paulo Bruscky, Galeria Nara Roesler, São Paulo, Brasil, e Nova York, EUA, ambas em 2017; PaLarva - Poesia Visual e Sonora, Caixa Econômica Federal, Recife, Brasil, 2016-17; Paulo Bruscky: Artist Books and Films, 1970-2013, The Mistake Room, Los Angeles, EUA, 2015, Another Space, Nova York, EUA, 2015, e Galeria Nara Roesler, São Paulo, Brasil, 2014; Paulo Bruscky, Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP), São Paulo, Brasil, 2014; Paulo Bruscky: Art Is Our Last Hope, Phoenix Art Museum, Phoenix, EUA, 2014, e The Bronx Museum, Nova York, EUA, 2013. Coletivas recentes incluem: “L'oeil écoute”, projeto no Centre Georges Pompidou, Paris, França, 2017-18; 9ª Fuso - Festival Anual de Vídeo Arte Internacional de Lisboa, Lisboa, Portugal, 2017, na qual foi o homenageado da edição; 57ª La Biennale di Venezia - Viva Arte Viva, Veneza, Itália, 2017; e Xerografia: Copyart Brazil, 1970-1990s, University Galleries, University of San Diego, San Diego, EUA, 2017, parte do II Pacific Standart Time: LA/LA. Possui obras em importantes coleções institucionais, como: Museu d’Art Contemporani de Barcelona, Barcelona, Espanha; Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP), São Paulo, Brasil; Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC-USP), São Paulo, Brasil; Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo, Brasil; Solomon R. Guggenheim Museum, Nova York, EUA; Stedelijk Museum, Amsterdam, Holanda; Tate Gallery, Londres, RU; The Museum of Modern Art (MoMA), Nova York, EUA; entre outros.

Exposições

+