tomie ohtake  sem título, 2014  acrílica sobre tela  100 x 100 cm
tomie ohtake  sem título, 2014  acrílica sobre tela  100 x 100 cm
tomie ohtake  sem título, 2014  acrílica sobre tela  100 x 180 cm
tomie ohtake  sem título, 2012  acrílica sobre tela  100 x 100 cm
tomie ohtake  sem título, 2009  acrílica sobre tela  150 x 150 cm
tomie ohtake  Aeroporto Internacional de Guarulhos, 2008  aço carbono, pintada com tinta automotiva  9 metros de altura
tomie ohtake  Parque do Emissário, 2008  aço pintada com tinta automotiva  15 metros de altura
tomie ohtake  sem título, 2008  tinta automotiva sobre aço carbono tubular  variáveis (aprox. 190 x 250 cm)
tomie ohtake  sem título, 2008  acrílica sobre tela  125 x 125 cm
tomie ohtake  sem título, 2005  acrílica sobre tela  200 x 170 cm
tomie ohtake  sem título, 2005  gravura em metal em cores sobre papel sobre poliestireno  27 x 220 cm (cada)
tomie ohtake  sem título, 2005  acrílica sobre tela  200 x 170 cm
tomie ohtake  sem título, 2000  tubo de aço carbono pintado com tinta epóxi branca e esmalte sintético  400 cm cada
tomie ohtake  recorte da forma #6, 1999  gravura em metal  70 x 100 cm
tomie ohtake  sem título, 1996  óleo sobre tela  200 x 200 cm
tomie ohtake  sem título, 1995  tinta automotiva sobre aço carbono tubular  187 x 400 x 165 cm
tomie ohtake  sem título, 1994  acrílica sobre tela  150 x 150 cm
tomie ohtake  Estação Consolação de Metrô, 1991  pastilhas de vidro  4 painéis de 15 metros
tomie ohtake  Memorial da América Latina, 1990  painel na lateral interna do Auditório  70 m
tomie ohtake  sem título, 1987  acrílica sobre tela  150 x 150 cm
tomie ohtake  sem título, 1987  óleo sobre tela  217 x 240 cm
tomie ohtake  Ladeira da Memória, 1984  pintura na parede cega do edifício  55 x 22 m
tomie ohtake  sem título, 1980  óleo sobre tela  100 x 100 cm
tomie ohtake  sem título, 1979  óleo sobre tela  10 x 100 cm
tomie ohtake  sem título, 1979  óleo sobre tela  100 x 100 cm
tomie ohtake  sem título, 1978  óleo sobre tela  100 x 100 cm
tomie ohtake  sem título, 1976  óleo sobre tela  100 x 100 cm
tomie ohtake  sem título, 1968  serigrafia sobre papel  12,2 x 60 cm
tomie ohtake  sem título, 1962  óleo sobre tela  129 x 110 cm
tomie ohtake  sem título, 1962  óleo sobre tela  85 x 75 cm
tomie ohtake  sem título, 1960  óleo sobre tela  83 x 61 cm
tomie ohtake  sem título, 1957  óleo sobre tela  65 x 50 cm
tomie ohtake  sem título, 2012  acrílica sobre tela  150 x 150 cm
tomie ohtake  sem título, 2012  acrílica sobre tela  175 x 175 cm
tomie ohtake  sem título, 2010  acrílica sobre tela  175 x 175 cm
tomie ohtake  sem título, 2010  acrílica sobre tela  150 x 100 cm
tomie ohtake  sem título, 2008  acrílica sobre tela  125 x 125 cm
tomie ohtake  sem título, 2008  acrílica sobre tela  125 x 125 cm
tomie ohtake  sem título, 2008  acrílica sobre tela  150 x 150 cm
tomie ohtake  sem título, 2004 / 2005  acrílica sobre tela  200 x 300 cm
tomie ohtake  sem título, 1993 / 1994  acrílica sobre tela  200 x 170 cm
tomie ohtake  sem título, 1959  óleo sobre tela  97 x 77 cm
tomie ohtake  sem título, 2013  tinta automotiva sobre aço carbono tubular  115 x 200 x 210 cm
tomie ohtake  monumento à imigração japonesa, 1988  obra pública na avenida 23 de maio, são paulo  40 metros em comprimento
tomie ohtake  foyer, 2004
tomie ohtake
sem título, 2014
acrílica sobre tela
100 x 100 cm

Tomie Ohtake nasceu em Kyoto, Japão em 1913 e viveu em São Paulo, Brasil, de 1936 até a sua morte no início de 2015. Começou a trabalhar profissionalmente como artista aos 39 anos, mergulhando em uma exploração da abstração primeiramente na pintura e expandindo mais tarde, para gravura e escultura.

Desde sua primeira individual em 1957, foi tema de inúmeras exposições em importantes instituições como o Museu de Arte Moderna de São Paulo; o Museu de Arte Contemporânea de Hara, Tóquio; Museu de Arte de Mori, Tóquio; Barbican Centre, Londres; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro; além de uma grande uma retrospectiva no Instituto Tomie Ohtake em São Paulo, por ocasião de seu centésimo aniversário. Participou de inúmeras bienais internacionais, incluindo a Bienal de Veneza, Havana, Cuenca e oito edições da Bienal de São Paulo. Desde a década de 1980, Ohtake produziu inúmeras esculturas públicas para cidades em todo o Brasil, incluindo obras icônicas em toda a cidade de São Paulo. Em 2001, o Instituto que leva seu nome abriu as portas em São Paulo com um programa dedicado a importantes exposições de arte contemporânea, arquitetura e design, além de preservar o legado do artista.

O trabalho de Tomie Ohtake integra coleções permanentes em todo o mundo, incluindo a do Museu de Arte Contemporânea de Hara, em Tóquio; M +, Hong Kong; Metropolitan Museum of Art, em Nova York; MASP, Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, São Paulo; MAM-SP, Museu de Arte Moderna de São Paulo, São Paulo; MAM-RJ, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro; MAC-USP, Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, São Paulo; MAC-Niterói, Museu de Arte Contemporânea de Niterói, Niterói; Coleção Patricia Phelps de Cisneros, Caracas; Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo; e Tate Gallery, em Londres. Tomie Ohtake é representado pela Galeria Nara Roesler desde a sua criação. 

Exposições

Press

  • mostra de tomie ohtake em NY é início de reconhecimento mundial Download

    mostra de tomie ohtake em NY é início de reconhecimento mundial

    Silas Martí, Folha de S. Paulo 16.3.2016
  • tomie ohtake ganha destaque mundo afora Download

    tomie ohtake ganha destaque mundo afora

    Marcos Grinspum Ferraz, Brasileiros 16.3.2016
  • mostra em nova york celebra tomie ohtake Download

    mostra em nova york celebra tomie ohtake

    Silas Martí, Folha de S. Paulo 15.3.2016
  • tomie ohtake exhibition Download

    tomie ohtake exhibition

    NY Elite Magazine 2.3.2016
  • diálogos da pintura abstrata em hong kong Download

    diálogos da pintura abstrata em hong kong

    Camila Molina, O Estado de S. Paulo 1.2.2016
  • Download

    "the world is our home. a poem on abstraction": para site’s cosmin costinas and inti guerrero – interview

    James Ellis, Art Radar 26.1.2016
  • modern abstraction with an asian sensibility Download

    modern abstraction with an asian sensibility

    The Wanderlister 21.1.2016
  •  world one poesia abstrata Download

    world one poesia abstrata

    ArtForum 12.12.2015
  • nipo-tropicália Download

    nipo-tropicália

    Inti Guerrero, Art Asia Pacific 1.5.2015

Canal

Texto Crítico

  • tomie ohtake: at her fingertips

    paulo miyada
    Tomie Ohtake: Nas pontas dos dedos I. Cortes de cores Na passagem entre as décadas de 1950 e 1960, a primeira incursão de Tomie Ohtake na pintura abstrata tornou-se conhecida pelo caráter 'cego' de um informalismo feito com intensidade e sem premeditação, muitas vezes com pinceladas lançadas, literalmente, de olhos fechados. A seguir, logo no princípio dos anos 1960, sua pintura condensou-se em formas mais claras, apresentadas em composições com nítida distinção de figura e fundo. As figuras, no caso, assemelham-se a formas geométricas simples, porém de contornos tremeluzentes, como se rasgadas com a ponta dos dedos. O que pouca gente sabe é que isso não é mera similitude: nessa época, a artista de fato começou a fazer estudos usando papéis coloridos retirados de revistas e rasgados à mão. Era uma forma de lidar com a instantaneidade do gesto e impregnar todo o processo de pintura com um teso equilíbrio entre acaso e controle. As composições encontradas por Tomie Ohtake nas diminutas colagens serviram de roteiro para pinturas...